Crise na economia agrava a crise na saúde

 

Quais as alternativas para quem não pode arcar com plano particular?

A previsão é de que até o final do ano, mais de 2 milhões de pessoas que tinham plano de saúde antes do inicio da crise econômica, estarão sem amparo.

Com isto, certamente o SUS estará ainda mais lotado e com dificuldades de atender as demandas.

Atualmente as empresas são responsáveis pelo custeio de 66% dos planos particulares, com o desemprego em alta, fica fácil entender o porque de tanta gente sem plano.

O mercado tem debatido opções, onde são elaboradas franquias. As pessoas custeiam os procedimentos mais simples e os planos arcam com despesas de maior vulto, mas não há nada certo ainda. Nenhum modelo definitivo.

Uma maneira de criar um modelo “ hibrido” é contratar um plano hospitalar, onde o plano arca com todas as despesas, desde que em regime de internação (solicite um estudo em: https://goo.gl/Xomok3). Custa cerca de 50% de um plano completo na mesma seguradora.

Para consultas e exames, há a possibilidade de adquirir um cartão que, oferece descontos de até 70% e reduz o custo para a compra de medicamentos.

Para quem não tem plano e precisa de consulta é uma boa. Se precisa fazer exames então, já na primeira compra pode ser que o desconto justifique o investimento no cartão. Quem precisa de medicação contínua não tem o que esperar, é redução de custos imediata. Saiba mais em: https://goo.gl/E6gMJn

 

 

Compartilhe

1 thought on “Crise na economia agrava a crise na saúde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *